Colunistas

Alison Entrekin é tradutora literária australiana radicada no Brasil. Verteu para o inglês Cidade de Deus, do Paulo Lins, O filho eterno, do Cristovão Tezza, Perto do coração selvagem, da Clarice Lispector e Budapeste, do Chico Buarque, entre outros. Trabalha atualmente na tradução de Grande SertãoVeredas, de Guimarães Rosa, com patrocínio do Itau Cultural.

Ana Elisa Ribeiro nasceu em 1975, em Belo Horizonte, cidade onde vive. É autora de livros de poesia, conto, crônica e literatura infantojuvenil, por diversas editoras brasileiras. Bacharel e licenciada em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais, onde também se formou mestre e doutora em Estudos Linguísticos.É professora e pesquisadora nos campos da Linguística Aplicada e da Edição, no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais.

Professora Associada da Pós-Graduação em Literatura, Cultura e Contemporaneidade da PUC-Rio, escritora, curadora da Exposição ‘Cadernos do Corpo’ (CCJF, 2016), uma das fundadoras da Revista DR, pesquisadora da obra do francês Antonin Artaud. Autora dos livros A punhalada [poesia], (7Letras, 2016, coleção Megamini), Antonin Artaud (EDUERJ, 2016), e das coletâneas Sobre o Corpo (7Letras, 2016), Expansões Contemporâneas – literatura e outras formas (UFMG, 2014), Experiência e Arte Contemporânea (Ed. Circuito, 2013), entre outros artigos e ensaios.

É professor do curso de Letras da Universidade Federal do Paraná e tradutor. Fotografado por Kate Griffin.

Evandro foi redator publicitário até 1990, quando sofreu um infarto e abandonou a publicidade para se dedicar à literatura. Estreou com o livro de humor Bombons Recheados de Cicuta, renegado pelo autor. Em seguida publicou Grogotó. O mineiro de Araxá teve em São Paulo os sebos Sagarana e Avalovara. Em 2010, ganhou o Prêmio APCA de melhor romance com Minha Mãe se Matou Sem Dizer Adeus e o Prêmio Jabuti de 2013 com O Mendigo que Sabia de Cor os Adágios de Erasmo de Rotterdam. É também autor de Os Piores Dias de Minha Vida Foram Todos. 

Professor Titular de Literatura Comparada da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Autor de 11 livros e organizador de mais de 20 títulos. Seus ensaios já foram traduzidos para o espanhol, francês, italiano, alemão e inglês.

Luciana Araujo Marques é mestre em Teoria Literária (USP) e doutoranda em Teoria e História Literária (Unicamp). É jornalista e atua no mercado editorial. Está entre os autores selecionados pelo programa Rumos Literatura, do Itaú Cultural, que teve como objetivo apresentar novos nomes da produção crítica brasileira com foco na produção literária contemporânea do Brasil, tendo como resultado a publicação do livro de ensaios "Protocolos Críticos" (2009).

Mariana Filgueiras é jornalista cultural com passagens pelo jornal O Globo, TV Globo, Jornal do Brasil e O Estado S. Paulo. Tem quatro prêmios de jornalismo. Estudou Literatura Comparada na University of St. Andrews, na Escócia, e na Universidade de Santiago de Compostela, na Espanha, com uma bolsa Erasmus Mundus. Atualmente faz mestrado em Literatura Brasileira na Universidade Federal Fluminense (UFF) e colabora com as revistas piauí e Continente. É uma das autoras da coletânea de crônicas "O meu lugar" (Mórula Editorial).

Miguel Conde é jornalista e editor. Foi repórter e editor assistente do caderno “Prosa & Verso”, do jornal O Globo, onde assinou a coluna “Procura-se”, sobre livros fora de catálogo. Seus artigos, reportagens e entrevistas foram publicados em veículos nacionais e estrangeiros como os jornais Folha de S. Paulo e Valor Econômico, o site Literary Hub e as revistas Arcadia e Letterature d’America. Foi curador de duas edições da Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), em 2012 e 2013, coordenador editorial da Rocco e pesquisador visitante na Brown University. É doutorando em Letras na PUC-Rio, curador de ficção do Garimpo Clube do Livro e coordenador da coleção "Marginália", de textos raros de grandes escritores, publicada pela editora Rocco.

 

Diogo de Hollanda é  jornalista, tradutor e doutor em Letras Neolatinas pela UFRJ. Foi professor de literatura hispano-americana da UFRJ e, desde 2017, é professor de jornalismo da PUC-SP. Trabalhou como repórter nos jornais Valor EconômicoO GloboGazeta Mercantil e Jornal do Commercio, além de ter feito colaborações para diversos outros veículos, como Folha de S. PauloReuters e rádio El espectador, do Uruguai. No mercado editorial, assinou a tradução de sete livros do espanhol e organizou as reedições de O cemitério dos vivos, de Lima Barreto, e Um passeio pela cidade do Rio de Janeiro, de Joaquim Manuel de Macedo, publicados pela Planeta do Brasil em 2004

É professora do Departamento de Letras da PUC-Rio, atuando no Programa de Pós-graduação em Literatura, Cultura e Contemporaneidade. Doutora em filosofia pela École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris, onde morou entre 1999 e 2014, tem livros de ensaios publicados na França e no Brasil, além de traduções do francês e do alemão. Como poeta, publicou Migalhas metacríticas (7Letras, coleção Megamíni, 2017) e Bye bye Babel (7Letras, 2018). Bye bye Babel obteve a primeira menção honrosa do Prêmio Cidade de Belo Horizonte, edição de 2016.

É curadora assistente do Museu de Arte do Rio e pesquisadora independente. Formou-se em História da Arte pela UFRJ e é mestre em Arte e Cultura Contemporânea pela UERJ, com pesquisa sobre Mário Pedrosa. Atuou como pesquisadora na Casa França-Brasil, coeditora da revista USINA e colunista do jornal Agulha. Curou exposições em instituições e espaços independentes no Rio e em São Paulo. 

É escritor e historiador da arte, PhD pelo Courtauld Institute of Art (Londres). Seu livro mais recente é O Remanescente, publicado em 2016 pela Companhia das Letras e traduzido para alemão (S. Fischer) e holandês (Nieuw Amsterdam). É autor de mais três livros de ficção e co-roteirista do longa-metragem Maresia (dir. Marcos Guttmann, 2016). É também autor de diversos livros sobre história da arte e do design no Brasil, incluindo Design para um mundo complexo (Cosac Naify, 2012). Atua ainda como curador independente, responsável, entre outras, pelas exposições Do Valongo à Favela: Imaginário e periferia (Museu de Arte do Rio, 2014). E colaborador do Instituto de Artes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, mora atualmente em Berlim. Fotografado por Patricia Breves.

É crítica literária e editora. Doutora em Literatura Brasileira pela USP e mestre em Teoria e História Literária pela Unicamp, escreve sobre livros de ficção e edita livros de não ficção.

Poeta, desenhista, arquiteto e diplomata, nasceu no Rio de Janeiro em 1933. Atualmente vive na Alemanha.

Desenvolvido por:
© Copyright 2018 REVISTAPESSOA.COM