Fingimento - seção portuguesa

Seção de poemas inéditos. Curadoria de Manuel ALberto Valente

Por dentro dos jacarandás

2017-08-03
Fingimento - seção portuguesa
Desdobrar a sombra   Desdobrar a sombra para que da escuridão se faça ainda o amplo passo da luz nos nomes que h&aacu ...

Chegaram os meus fantasmas para o chá

2017-06-05
Fingimento - seção portuguesa
  PORTO ALEGRE, HOTEL MAJESTIC (com a voz de Mário Quintana)   tenho por auréola um candeeiro à cabec ...

Ler a vida

2017-05-04
Fingimento - seção portuguesa
  A MESMA FALA Num café de Lisboa   Novamente o mar batia  Palavras ainda no olhar enevoado de quem trazia ce ...

Insônia

2017-04-17
Fingimento - seção portuguesa
*   A madrugada interrompeu os sonhos, já o silêncio do mundo nos tardava. À paisagem deserta dos meus olhos ac ...

Escreve sempre que precisares

2017-01-19
Fingimento - seção portuguesa
Escreve sempre que precisaresEscreve sempre que precisares de me dizerque há gelo nas tuas mãos e nas paredes do frigorífico.Os legumes que troux ...

Todas as casas de amor são ridículas

2016-11-16
Fingimento - seção portuguesa
Todas as casas de amor são ridículasEscrevo-te: uma casa. E nenhuma palavrase reveste de tijolos, nenhuma palavrase deposita sobre o terreno para ...

Quinta da Boavista

2016-10-13
Fingimento - seção portuguesa
Vem à quinta-feiraVem à quinta-feira.É quase fim-de-semana e podemos, talvez, beber uma cervejaao cair da tarde, enquanto planeamos a viagem a Pa ...

Vem, vem apenas

2016-09-20
Fingimento - seção portuguesa
Na poesia mais recente que tem surgido em Portugal, destacam-se algumas vozes femininas, como Golgona Anghel, Filipa Leal, Margarida Ferra ou I ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2017 REVISTAPESSOA.COM