Eloésio Paulo

Nasceu em Areado, Minas Gerais. Doutorou-se em Letras pela Unicamp em 2004. Publicou Literatura e ideologia em dois romances dos anos 1970 (2014), Os 10 pecados de Paulo Coelho (2007) e Teatro às escuras (1997), além dos livros de poemas Primeiras palavras do mamute degelado (1990), Cogumelos do mais ou menos (2005), Inferno de bolso etc. (2007), Jornal para eremitas (2012) e Homo hereticus (2013). Foi resenhista de O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e O Globo. Pela editora Dubolsinho, publicou em 2010 Parque de impressões, poemas para crianças. No site da revista Pessoa, Eloésio publica resenhas de romances dos séculos XIX e XX, que integrarão seu próximo livro, o Pequeno guia do romance brasileiro.

Recomendado

O grande mentecapto

2017-11-10
Colunistas
  Fernando Sabino arriscou-se a escrever um segundo romance mais de duas décadas depois de ter publicado O encontro marcado (1956). E o fez num registro pr&oacu ...

Livro de uma sogra

2017-10-15
Colunistas
  Obra tardia de uma inventiva ficcional esgotada, o Livro de uma sogra desmente, de saída, as notáveis qualidades de narrador anteriormente exibidas por ...

Pedra Bonita

2017-09-08
Colunistas
  O fanatismo religioso, que desde Os sertões (1902) se tornou um tema medular na literatura de viés sociológico, poderia ser a grande forç ...

Encarnação (1893)

2017-08-14
Colunistas
  Até pouco adiante da metade, o último romance de José de Alencar parece anunciar-se como síntese bem realizada de Diva e Senhora. A prota ...

A viuvinha

2017-07-15
Colunistas
  A fórmula é a do folhetim, com suas surpresas óbvias salpicando o enredo. Mas o escritor ainda não tinha desenvolvido aquela sua invenc&i ...

O risco do bordado

2017-06-09
Colunistas
   “Deus é que sabe por inteiro o risco do bordado”, diz o médico Alcebíades enquanto narra seu encontro com Xambá, o ...

O Homem

2017-05-31
Colunistas
  Poderão os psiquiatras, e talvez ainda mais os psicanalistas, torcer o nariz para o grau de proficiência clínica do narrador de O homem (1887). C ...

Ópera dos mortos

2017-05-18
Colunistas
  O estilo um tanto artificioso, a destoar de certas imperícias gramaticais, parece evidenciar dois fatos. Primeiro, que foi, à moda da retórica a ...

O Coruja

2017-05-01
Colunistas
A que vem, lá pela metade do último terço da narrativa, aquela referência à luta de Branca contra a “bestialidade da carne”, luta ...

Viva o povo brasileiro

2017-04-24
Colunistas
  Uma assimetria de base sustenta o monumental Viva o povo brasileiro (1984), com que João Ubaldo Ribeiro coroou a experiência de sua ficção ...

Caminho de Pedras

2017-04-03
Colunistas
Parece que Rachel de Queiroz vacilou um pouco quanto ao que seria o fulcro narrativo de Caminho de pedras. O enredo transita da caracterização de um grupo de esq ...

Verão no Aquário

2017-03-27
Colunistas
  O título do segundo romance de Lygia Fagundes Telles repete o mistério do primeiro: Verão no aquário (1963) é expressão que ...

Vila dos confins

2017-03-01
Colunistas
Livro que, segundo o próprio autor, “nasceu relatório, cresceu crônica e acabou romance”, Vila dos confins (1956) se apresenta ao leitor como u ...

Uma vida em segredo

2017-02-06
Colunistas
Uma vida em segredo (1964), de Autran Dourado, é daquelas obras em que a simplicidade aparente esconde um apurado domínio da técnica. O escritor mineiro foi, além de important ...

Um certo capitão Rodrigo

2017-01-28
Colunistas
No grandioso ciclo romanesco O tempo e o vento, publicado entre 1949 e 1962, Érico Verissimo realizou, de maneira muito aprimorada, alguns dos objetivos tentados por José de ...

O terrorista lírico

2016-12-16
Colunistas
Muito antes de se tornar um dos escritores brasileiros mais premiados e traduzidos, o catarinense Cristóvão Tezza mais parecia um personagem de ficção: estudou Letras em Co ...

A repetição como estilo

2016-11-13
Colunistas
Podem-se fazer muitas críticas ao romance Sexo (1999), de André Sant’Anna, mas ninguém negará que o escritor foi ousado na concepção e execução da obra, cujas persona ...

Essa terra

2016-10-13
Colunistas
Um estilo bastante pessoal, feito de intercalações e elipses, marca o romance Essa terra (1976), que deu notoriedade ao baiano Antônio Torres. O escritor despontou numa époc ...

A rainha dos cárceres da Grécia

2016-09-13
Colunistas
A progressiva incorporação do narrador ao próprio relato constitui o enredo em A rainha dos cárceres da Grécia (1976), último romance de Osman Lins. Apresentando-se como prof ...

Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres

2016-08-29
Colunistas
Pode-se tomar emprestado o título de outro livro da autora para surpreendê-la em flagrante delito de romance de tese, esse velho vício do século XIX: Uma aprendizagem ou O l ...

O fiel e a pedra

2016-08-23
Colunistas
Adiamento de um conflito sustenta a narrativa de Osman LinsDepois de Graciliano Ramos, escrever um romance ambientado no interior do Nordeste ficou muito mais difícil. O per ...

A pata da Gazela

2016-08-01
Colunistas
Não é que o leitor não tenha o direito de esperar uma narrativa interessante girando em torno de um pé de sapato. A história de Cinderela tornou-se, baseada na demanda do p ...

Perto do coração selvagem

2016-06-07
Colunistas
Raros são os escritores que exibem, já na obra de estreia, toda a energia criativa de que serão capazes na maturidade. É o caso de Clarice Lispector em Perto do coração s ...

O moço loiro

2016-05-20
Colunistas
Três ou quatro cenas humorísticas não são o bastante para salvar, aos olhos de um leitor contemporâneo, o segundo romance de Joaquim Manuel de Macedo. Muito inferior à obra de ...

O coronel e o lobisomem

2016-04-28
Colunistas
Na toada em que se inicia, O coronel e o lobisomem (1964), de José Cândido de Carvalho, faz o leitor suspeitar que esteja diante de um grande romance. O tom farsesco ...

Uma lágrima de mulher

2016-04-15
Colunistas
O Aluísio aprendiz pode ser útil aos iniciantes, mas só issoPoucas razões justificam a leitura atual de Uma lágrima de mulher (1879), o primeiro romance de Aluísio A ...

O Gaúcho

2016-03-20
Colunistas
Nenhum romance de José de Alencar é mais difícil de julgar que O gaúcho (1870), que tem como o pano de fundo a eclosão Guerra dos Farrapos (1835/45), revolta que des ...

Retrato da política brasileira no Segundo Império

2016-02-16
Colunistas
“Em política as desinteligências mais difíceis de apagar são as que não têm motivo confessável”. A frase, de uma atualidade a conferir nas páginas do que restou da grande impr ...

O cortiço

2012-09-10
Colunistas
A experiência como desenhista e dramaturgo muito contribuiu para a vivacidade com que Aluísio Azevedo narra O cortiço, ponto alto de sua obra e da própria ficção naturalista n ...

O casamento

2012-09-12
Colunistas
Nelson Rodrigues divertiu-se diabolicamente com as taras da burguesia. Em sua obra, a psicanálise se repete como farsa. Nelson se olhava ao espelho e, encarando suas próprias ...

Cidade de Deus

2012-09-26
Colunistas
A impureza do verbo é menos importante que o conteúdo de verdade em Cidade de Deus, de Paulo Lins. Quando o romance foi lançado, uma parte da crítica sublinhou seu inacabament ...

Memórias póstumas de Brás Cubas

2012-10-05
Colunistas
Por que Memórias póstumas de Brás Cubas (1881) é a obra mais importante da literatura brasileira? Nada é simples quando se trata de Machado de Assis. Mas podemos começar pelo ...

A luneta magica

2012-10-19
Colunistas
Os meios justificam o fim em A luneta mágica, romance publicado em 1869 por Joaquim Manuel de Macedo, já então um escritor de sucesso – para os padrões do Brasil na época –, c ...

A lua vem da Ásia

2012-11-05
Colunistas
A lua vem da Ásia (1963), de Campos de Carvalho, traz uma novidade para a ficção brasileira: é a primeira vez que o relato é enunciado por um louco, de dentro do hospício. O f ...

Serafim Ponte Grande

2012-11-16
Colunistas
A obra de Oswald de Andrade (ele odiava ser chamado de “Ôsvald”) é o que de mais porralouca se escreveu na ficção brasileira. O escritor produziu em Serafim Ponte Grande uma s ...

Avalovara

2012-12-03
Colunistas
Talvez o mais ambicioso romance brasileiro desde Grande sertão: veredas, a obra maior de Osman Lins é Avalovara, publicado pela primeira vez em 1973. Desvendá-lo, como demonst ...

Til

2012-12-12
Colunistas
Só mesmo José de Alencar se lembraria de chamar uma cascavel de “boicininga” e imaginaria que a sucuri, ao sair da água, dá um “berro”. Grande ficcionista na concepção e condu ...

Armadilha para Lamartine

2013-01-14
Colunistas
Um rapaz de 21 anos cuja crise existencial desemboca na internação em um hospício, instituição que se revela opressora e capaz de destruir alguém por meio do seu “tratamento”. ...

Vidas secas

2013-01-21
Colunistas
Como escreveu Álvaro Lins, todos os protagonistas de Graciliano Ramos têm vidas secas. Daí porque o título desse quarto romance do escritor alagoano, publicado em 1938, seja u ...

O Seminarista

2013-01-28
Colunistas
Amor e morte, as maiores obsessões do Romantismo, estão no âmago da composição de O seminarista (1872), romance do mineiro Bernardo Guimarães, também autor do famoso A escrava ...

Diva

2013-02-06
Colunistas
Segundo entre os romances que Alencar chamou “perfis de mulher”, Diva (1864) segue-se nessa linhagem a Lucíola e antecede Senhora. Esses três livros, juntamente com os três ro ...

As parceiras

2013-02-14
Colunistas
Uma melancolia sem desespero percorre os sete capítulos de As parceiras (1980), de Lya Luft, correspondentes à semana em que a narradora, recolhida na propriedade familiar num ...

Macunaíma

2013-02-19
Colunistas
A Semana de 22 foi São Paulo interrogando o Brasil como se diante do espelho da madrasta malvada. Mário de Andrade, paulistano mas não provinciano, inverteu a equação: pôs o B ...

A normalista

2013-02-27
Colunistas
A ficção naturalista brasileira padeceu mesmo do incoerente sincretismo da veleidade cientificista com restolhos de retórica sentimentalóide. Nem Aluísio Azevedo, o aplicado d ...

Menino de engenho

2013-03-04
Colunistas
Descontado o exagero, Paulo Prado tinha razão em chamar José Lins do Rego de “nosso Proust”.  Não é cabível comparar os dois estilos de escrita e de prospecção da memória ...

Capitães da areia

2013-03-13
Colunistas
A obra de Jorge Amado é cheia de altos e baixos. Capitães da areia (1938), mesmo representando os altos, ainda assim é um livro fraco. O estofo humano da ficção é de boa quali ...

Memórias de um sargento de milícias

2013-03-20
Colunistas
A pergunta sobre a “utilidade” da literatura, que as mentes pragmáticas não se cansam de repetir, recebe boa resposta numa leitura atenta das Mem&oac ...

Em câmara lenta

2013-03-27
Colunistas
A segunda metade da década de 1970 trouxe à luz uma leva de livros escritos por sobreviventes da luta armada contra a ditadura militar. Em termos de vendagem, a mais bem-suced ...

O Ateneu

2013-04-02
Colunistas
A “saudade hipócrita” rejeitada pelo narrador nas primeiras páginas de O Ateneu (1888) é um dos aspectos da idealização romântica que ele procura negar. Mas o romanc ...

Mês de cães danados

2013-04-10
Colunistas
Um incômodo descompasso entre a pretensão realista e os ingredientes esperpênticos do enredo impede a decolagem de Mês de cães danados, romance de Moacyr Scliar contemplado co ...

Inocência

2013-04-16
Colunistas
Entre os romances brasileiros publicados no período que se convencionou chamar romântico, Inocência (1872), de Visconde de Taunay, é um dos poucos realmente bons. E o que ele ...

Memórias sentimentais de João Miramar

2013-04-26
Colunistas
Magríssimo em volume, Memórias sentimentais de João Miramar (1924) é de uma densidade invejável. Oswald de Andrade não gostava de chamá-lo de romance, consciente que era do gr ...

Quatro-Olhos

2013-05-03
Colunistas
Cerca de um terço das páginas de Quatro-Olhos (1977) relatam o transcurso de um dia num hospital psiquiátrico. Essa concentração espaço-temporal vem dar sentido à dispersão da ...

Quincas Borba

2013-05-10
Colunistas
Sem as pirotecnias narrativas de Memórias póstumas, o romance seguinte de Machado de Assis responde melhor ao epíteto de “clássico”. Quincas Borba (1891) é primoroso pelo esti ...

Ciranda de Pedra

2013-05-17
Colunistas
“Os semideuses eram apenas cinco criaturas dolorosamente humanas.” A frase resume a segunda parte de Ciranda de Pedra (1954), o primeiro romance de Lygia Fagundes Telles, uma ...

Confissões de Ralfo

2013-05-24
Colunistas
O primeiro romance de Sérgio SantAnna pode não ser uma obra-prima, sobretudo se avaliado à luz da tradição moderna do gênero. A forma bagunçada, muito aparentada ao Serafim os ...

Bom-Crioulo

2013-06-07
Colunistas
Certa crítica tende a exagerar os méritos de Bom-Crioulo (1895), principal contribuição de Adolfo Caminha à ficção brasileira. Se é verdade que o marinheiro Amaro, e ...

Os ratos

2013-06-14
Colunistas
O gaúcho Dyonélio Machado ganhou em 1935 o prêmio Machado de Assis com seu romance Os ratos. Quase uma década depois, publicaria O louco do Cati (1944), confirmação de um tale ...

O Quinze

2013-06-22
Colunistas
A respeito de O quinze (1930), obra de estreia de Rachel de Queiroz, possivelmente ninguém terá formulado uma avaliação mais exata que a de Adolfo Casais Monteiro: era difícil ...

A festa

2013-06-28
Colunistas
A personagem tenta convencer o jornalista Samuel Fereszin a ir, pois será uma “festa do caralho”. Isso ocorre para lá da página 100, e ainda temos uma vaga ideia de quem seja ...

A hora da estrela

2013-07-05
Colunistas
“Estou me interessando terrivelmente por fatos”: a fala do narrador de A hora da estrela (1977) expressa um contato até certo ponto tardio, pois Clarice Lispector passou a vid ...

Hóspede

2013-07-12
Colunistas
Hóspede (1887), de Pardal Mallet, é daquelas muitas obras que acabam esquecidas pela historiografia da literatura. Não é um romance ruim, apenas foi escrito em pinceladas rápi ...

Informação ao crucificado

2013-07-19
Colunistas
O romance de Carlos Heitor Cony trata da fragilidade da fé. O narrador é um seminarista que escreve seu diário enquanto termina a Segunda Guerra, e suas notas abrangem bo ...

Sombras de reis barbudos

2013-07-26
Colunistas
Representante brasileiro do realismo fantástico, José J. Veiga estreou na ficção em 1959 com Os cavalinhos de Platiplanto, coletânea de contos. Quando publicou Sombras de reis ...

Lucíola

2013-08-03
Colunistas
O final moralista, as metáforas vegetais e a mania de “embeber os olhos” de suas personagens a cada cena sentimenal estragam, para um leitor de hoje em dia, as inegáveis quali ...

Galvez, Imperador do Acre

2013-08-09
Colunistas
No final da década de 1970 o romance de Márcio Souza era um dos grandes sucessos da literatura brasileira. O país vivia o “boom editorial” que colocou no mercado muitos dos es ...

A mão e a luva

2013-08-17
Colunistas
Bem mais do que na singela primeira narrativa longa de Machado de Assis, Ressurreição (1872), na segunda se mostram alguns daqueles elementos que tornariam o escritor o maior ...

São Bernardo

2013-08-23
Colunistas
Primoroso como estilo e como estrutura narrativa, São Bernardo (1934) fica por isso mesmo devendo no quesito verossimilhança. Nenhum arranjo explicativo de circunstâncias bast ...

Recordações do escrivão Isaías Caminha

2013-08-30
Colunistas
Talvez surpreenda a muitos leitores constatar a atualidade da sátira de Lima Barreto à literatura e à imprensa do Brasil. Uma sátira tisnada, é verdade, de restos da melancoli ...

Iracema

2013-09-06
Colunistas
Fincando as estacas míticas que assinalam a paisagem do Ceará – Maranguape, Quixeramobim, Baturité e muitas outras –, José de Alencar escreveu um dos mais bonitos livros da no ...

João Miguel

2013-09-13
Colunistas
Dois anos depois do sucesso de O quinze, Rachel de Queiroz publicava João Miguel (1932), seu segundo romance. A normalista cearense de 22 anos, saída do curso normal aos 15 an ...

Zero

2013-09-20
Colunistas
Zero (1975) foi um dos poucos romances censurados pela ditadura militar, que já quase ninguém ousa chamar “revolução”. Pudera: suas ref ...

A moreninha

2013-09-27
Colunistas
O estilo romântico expressa dois movimentos opostos da História: a crise dos valores aristocráticos e a elaboração de uma ideologia capaz de acomodá-los à nova visão de mundo ...

Clarissa

2013-10-04
Colunistas
Primeiro romance de Erico Verissimo, Clarissa (1933) é um livro de concepção singela. O autor, que viria a obter a difícil coincidência de qualidade literária e sucesso de púb ...

Madame Pommery

2013-10-11
Colunistas
Com “engenho arguto e vastíssima sabedoria”, uma prostituta espanhola revolucionou a “vida airada” de São Paulo no início do século XX. Em resumo, esse é o argumento do divert ...

Memorial de Aires

2013-10-21
Colunistas
Ao transpor a porta para a rua vi-lhes no rosto e na atitude uma expressão a que não acho nome certo ou claro; digo o que me pareceu. Queriam ser risonhos e mal se podiam cons ...

A escrava Isaura

2013-11-04
Colunistas
O andamento teatral da narrativa, com suas aparições providenciais de personagens inesperadas, responde pelos principais atrativos que A escrava Isaura (1875) ainda pode apres ...

Amar, verbo intransitivo

2013-11-11
Colunistas
Um livro “gordo de freudismo”, na definição do autor, que meses depois de publicá-lo acusava a crítica de reducionismo psicologista, Amar, verbo intransitivo (1927) participa ...

Os novos

2013-11-18
Colunistas
Emblemático dos impasses enfrentados pelo escritor brasileiro no momento de radicalização da ditadura militar, nem por isso Os novos (1971), primeiro romance de Luiz Vilela, é ...

Cinco minutos

2013-11-25
Colunistas
O escritor dos adjetivos em comboio estava ainda em gestação, e por isso o livro de estreia de José de Alencar tem um andamento narrativo ágil a ponto de reduzir-se, conforme ...

Lúcio Flávio - O Passageiro da Agonia

2013-12-11
Colunistas
José Louzeiro, hoje um octagenário, foi nos anos 1970 o mais bem-sucedido caso do tão sonhado, para muitos escritores, trânsito definitivo do jornalismo para a literatura. Gra ...

Quarup

2014-01-06
Colunistas
Em Quarup (1968), Antonio Callado inventou o protagonista-cabide. O padre Nando, inicialmente um aspirante a missionário na selva, depois mestre fornicador e finalmente “subve ...

No coração dos boatos

2014-01-21
Colunistas
O número impressionante de referências contidas em No coração dos boatos (1982-1984) é parte inseparável da poética narrativa de Uilcon Pereira, nascido Wilcon Joia Pereira na ...

Dona Guidinha do Poço

2014-01-29
Colunistas
Arrolado pela historiografia literária como naturalista, Dona Guidinha do Poço (1952), de Manuel de Oliveira Paiva, quase nada tem daquela ficção de discutível base científica ...

Ressurreição

2014-02-10
Colunistas
O romancista estreante Machado de Assis já era acometido pela mania dos prólogos e, em Ressurreição (1872), escreveu um deles quase pedindo desculpas pelo atrevimento de tenta ...

Mademoiselle Cinema

2014-02-18
Colunistas
Escrito na ilha de Paquetá enquanto em São Paulo se gestava a Semana de Arte Moderna, Mademoiselle Cinema (1923), de Benjamin Costallat, é um livro involuntariamente antimoder ...

A carne

2014-02-26
Colunistas
Polemista feroz, Júlio Ribeiro foi difamado pelos pseudo-republicanos de São Paulo, ocasionalmente com a ajuda de intelectuais provincianos travestidos de crítica literária, c ...

O encontro marcado

2014-03-11
Colunistas
Nada poderia ser pior para um romance brasileiro do que ir para as livrarias no mesmo ano de Grande sertão: veredas. Foi o caso de O encontro marcado (1956), de Fernando Sabin ...

O Amanuense Belmiro

2014-03-18
Colunistas
“Ai de nós, os que vamos passando.” A exclamação resume bem o espírito do amanuense (escrivão) que dá título ao principal livro de Ciro dos Anjos, representante mineiro da ver ...

O Dragão

2014-03-25
Colunistas
José Alcides Pinto, morto em 2008, recebeu elogios de nomes importantes da crítica literária. Suas obras têm sido reeditadas ultimamente em seu Estado natal, mas aquela que ta ...

O Alquimista

2014-04-15
Colunistas
A “contribuição milionária de todos os erros” só pode ser dada por quem seria capaz de não os cometer. Tal não era a condição de Paulo Coelho quando escreveu O alquimista (198 ...

O Guarani

2014-04-30
Colunistas
Obra de fôlego escrita logo no início da carreira de José de Alencar, O guarani (1857) contém os ingredientes essenciais do folhetim: aventura, heroísmo, intriga amorosa e uma ...

O Cabeleira

2014-05-09
Colunistas
Franklin Távora romanceia em O cabeleira (1876) a vida de um famoso assassino que, no final do século XVIII, aterrorizou o sertão de Pernambuco. Seu relato é corroborado pela ...

O Louco Do Cati

2014-05-16
Colunistas
“Exagero do mineiro?” A resposta à pergunta feita por Flávio Moreira da Costa na orelha da quarta edição é afirmativa: sim, Guimarães Rosa estava exagerando quando considerou ...

Luzia-Homem

2014-05-28
Colunistas
Não fosse seu final de péssimo gosto, forçado e que vale por um compêndio dos piores defeitos do Romantismo tardio, Luzia-Homem (1903) poderia ser considerado uma das melhores ...

O inferno é aqui mesmo

2014-06-06
Colunistas
Muitos escritores, desde Balzac, escreveram sobre suas ilusões perdidas quanto ao jornalismo, mas talvez nenhum o tenha feito com tanta leveza como Luiz Vilela em O inferno é ...

Helena

2014-06-16
Colunistas
Helena (1876) é um romance em duas metades bem distintas. Na primeira, Machado de Assis concentra seus talentos na elaboração do estilo que o consagraria como o grande ficcion ...

Crônica da casa assassinada

2014-07-15
Colunistas
Não é acaso que as últimas palavras de Crônica da casa assassinada(1959) sejam de um padre. O principal livro de Lúcio Cardoso tem muito de sermão. Existe nele, sim, uma engen ...

O mulato

2014-08-07
Colunistas
É mais fácil acreditar na bile secretada pelo escritor contra a “terrinha da intriga miúda” do que no amor cada vez maior de seu protagonista por Ana Rosa. Em O mulato (1881), ...

A polaquinha

2014-08-27
Colunistas
Dalton Trevisan é um contista genial a ponto de fazer infindáveis variações em torno de meia dúzia de obsessões e recursos de estilo como a elipse e a frase curta ou curtíssim ...

Triste fim de Policarpo Quaresma

2014-09-12
Colunistas
Fosse apenas o penetrante e originalíssimo, para sua época, estudo sobre a química da ideologia, Triste fim de Policarpo Quaresma (1915) já seria uma leitura imprescindível. M ...

Doramundo

2014-09-20
Colunistas
Doramundo (1959) é daqueles livros que você insiste em ler até o final, na esperança de que se justifique por um grand finale. É que sua escrita flerta com o registro poético ...

O filho do pescador

2014-10-01
Colunistas
Indeciso entre a narração, arroubos poéticos e um moralismo ultracarola, Teixeira e Sousa legou à posteridade o bisonho rascunho de ficção intitulado O filho do pescador (1843 ...

A paixão segundo G.H.

2014-10-08
Colunistas
Há muitas maneiras de ler A paixão segundo G.H. (1964), nenhuma delas necessariamente sendo a correta. Uma, bastante habitual, é considerá-lo como romance. Afinal, a obra-prim ...

Ubirajara

2014-10-23
Colunistas
O que perdeu em qualidade da fabulação e da linguagem, considerados O guarani e Iracema como parâmetros, a ficção indianista de José de Alencar ganhou, na escrita de Ubirajara ...

Dom Casmurro

2014-11-13
Colunistas
Para muitos leitores, o eterno debate sobre a traição de Capitu acaba sendo uma cortina de fumaça que não deixa enxergar em que consiste, de fato, o romance Dom Casmurro (1900 ...

Estorvo

2014-12-09
Colunistas
Como cancionista, talvez Chico Buarque já tivesse contado suas melhores histórias quando resolveu escrever um romance. Boa parte de suas canções são narrativas, e muitas delas ...

Casa de pensão

2015-01-20
Colunistas
Uma das maneiras estabelecidas de se ler Casa de pensão (1884) é como obra de transição entre o romance de personagem (O mulato) e o romance social (O cortiço) no conjunto da ...

Grande sertão: Veredas

2015-02-03
Colunistas
O metro para medir Grande sertão: veredas (1956) está além da literatura brasileira. Nem é viável comparar a obra-prima de Guimarães Rosa com qualquer outro livro publicado em ...

Senhora

2015-02-19
Colunistas
José de Alencar não foi um dramaturgo assíduo, mas a solenidade falsa dos gestos trágicos impregna sua ficção ainda em Senhora (1875), arremate dos “perfis de mulher”. O livro ...

Caetés

2015-03-03
Colunistas
Mais ridículo do que um morador do Rio de Janeiro, no início do século XX, despedir-se do outro com uma frase em francês, era o mesmo ocorrer na cidadezinha alagoana de Palmei ...

Iaiá Garcia

2015-03-10
Colunistas
Há um excesso de reviravoltas no enredo de Iaiá Garcia (1878), e isso faz do quarto romance machadiano um livro ainda algo romântico. Na direção inversa, esboços de análise ps ...

As mulheres de Tijucopapo

2015-03-17
Colunistas
“Cada pessoa é uma história perdida”, diz a narradora a certa altura de As mulheres de Tijucopapo (1982). Marilene Felinto tinha 23anos ao escrever essa obra de estreia, muito ...

O Missionário

2015-03-30
Colunistas
De vez em quando, mas só de vez em quando, o narrador de O missionário (1888) se lembra de explicar as ações do padre Antônio de Morais pela “natureza ardente e apaixonada” e ...

Catatau

2015-04-06
Colunistas
Dotado de repertório hoje quase impensável para um rapaz de 20 e poucos anos, o paranaense Paulo Leminski saltou, no final dos anos 1960, no abismo que era a tentativa de dobr ...

Memorial de Aires

2015-04-24
Colunistas
Como o narrador de seu último romance, Machado de Assis, viúvo e desenganado da própria saúde, talvez estivesse a olhar “para longe, para onde se perde a vida presente, e tudo ...

Sargento Getúlio

2015-05-04
Colunistas
A filiação de Sargento Getúlio (1971) ao estilo de Guimarães Rosa, no que este tem de recriação da linguagem regional, é evidente, mas o romance de João Ubaldo Ribeiro também ...

O garimpeiro

2015-05-20
Colunistas
Tudo bem, lastro psicológico não é o forte da ficção romântica. Mas em O garimpeiro (1872) Bernardo Guimarães levou a extremos de ridículo o artificialismo na construção das p ...

Eu e o governador

2015-05-29
Colunistas
Jânio Quadros, governador de São Paulo aos 42 anos, rolando na areia de Ilhabela com uma mocinha desfrutável. Horas depois, fazendo à mesma mocinha, que seria a narradora do l ...

A carteira do meu tio

2015-06-08
Colunistas
Os modelos eram o Quixote e as Viagens de Gulliver. Joaquim Manuel de Macedo parece ter começado a escrever A carteira do meu tio (1855) tendo em vista as novelas satíricas de ...

Dona Anja

2015-06-17
Colunistas
Era o tempo em que homens assobiavam valsas vienenses no puteiro. A história podia não ter ficado datada, mas ficou. Dona Anja (1978), de Josué Guimarães, lembra uma peça ...

O ermitão de Muquém

2015-07-01
Colunistas
Sim, pode haver proveito em gastar algumas horas do seu precioso tempo lendo O ermitão de Muquém (1864), o primeiro romance de Bernardo Guimarães e obra inaugural da tradição ...

O país do Carnaval

2015-07-17
Colunistas
Noventa por cento do romance de estreia de Jorge Amado se compõe de diálogos nos quais, principalmente, meia dúzia de intelectuais da província debatem uma crise existencial q ...

O choque das raças ou o presidente negro

2015-07-29
Colunistas
Certamente existem atenuantes a considerar – sobretudo referentes ao contexto histórico – na leitura de O choque da raças ou O presidente negro, tentativa de romance feita por ...

As mulheres de mantilha

2015-08-20
Colunistas
O título é uma das particularidades que fazem merecedor de maior atenção esse romance hoje bem pouco lido de Joaquim Manuel de Macedo. Não há mulheres de mantilha em particula ...

Fogo morto

2015-08-28
Colunistas
Duas donzelas enlouquecidas, dois compadres falastrões desafiando o poder dos senhores de engenho, duas famílias desmanteladas pelo destino: parece que José Lins do Rego usou ...

A guerra dos mascates

2015-09-18
Colunistas
Um José de Alencar bem-humorado, resvalando para a sátira e a ironia, é o que seus habituais leitores voluntários ou forçados, provavelmente surpresos, encontrarão em Guerra d ...

Calunga

2015-10-05
Colunistas
Livro estranho esse de Jorge de Lima, o poeta alagoano da Invenção de Orfeu (1952), considerada um dos pontos altos da poesia brasileira. Calunga (1935) reúne elementos que ba ...

Canaã

2015-10-21
Colunistas
Até pouco além de sua metade, Canaã (1902) apresenta como única qualidade literária a habilidade de seu autor para a descrições. São muitos os trechos dessa longa introdução, ...

Angústia

2015-11-03
Colunistas
Ao contrário de Rachel de Queiroz e José Lins do Rego, que se contentaram em ser narradores de eficácia exemplar, Graciliano Ramos elaborou alguns difíceis teoremas narrativos ...

Panamérica

2015-11-23
Colunistas
O coquetel de mitologemas desencontrados e sem lastro que é Panamérica (1967) contém elementos que permitem classificá-lo como romance. Existe um enredo, ainda que deliberadam ...

Esaú e Jacó

2015-12-08
Colunistas
A invenção de um banqueiro espírita é talvez a ironia mais estridente plantada por Machado de Assis em Esaú e Jacó (1904), seu penúltimo romance. Nessa obra em que comparece c ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2017 REVISTAPESSOA.COM