Imagem 1644336431.jpg

Héteros de mim



2022-02-08

 

#nemummais

Como Ana Elisa Ribeiro, não mandei minha crônica a tempo. Começada, mas patinando, sem avançar muito. Me desculpei, adiei a crônica para o início do ano, e continuei a trabalhar. Tomei do texto, cortei um bocado, fui descobrindo o poema. Poema, então. Ficou bom, enxuto e terno como a cena que presenciara e queria partilhar com leitoras e leitores de Pessoa. O texto virou mensagem de Novo Ano para amigas e amigos.

Quando me proponho retomar o projeto inicial da crônica – ora, que diabos, era ou não era uma profissional da escrita, tinha ou não um bom material para esta...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Nilma Lacerda

Nasceu no Rio de Janeiro, onde vive. Autora de Manual de Tapeçaria, Sortes de Villamor, Pena de Ganso, Cartas do São Francisco: Conversas com Rilke à Beira do Rio, Estrela de rabo e mais histórias, Iberê Camargo: um homem valente, é também tradutora e escreve ensaios e artigos científicos. Recebeu vários prêmios por sua obra, dentre os quais o Jabuti, o Prêmio Rio, o Prêmio Brasília de Literatura Infantojuvenil, além das distinções White Ravens, da Biblioteca Internacional de Munich para a Juventude  e Lista de Honra do International Books for Young People. Professora aposentada da Universidade Federal Fluminense, mantém na Revista Pessoa a Coluna Ladrilhos, com crônicas de talhe variado, em perspectiva lusófona.




Sugestão de Leitura


Chagall, sua aldeia, uma tarde

Chega, e o convite entra com ela, “Vovó, vamos brincar?”. Esconde-esconde, massinha, jogo da memória, jogo da velha. Nu ...

Ainda ontem e mesmo agora

  Nas prateleiras da minha biblioteca, dois fragmentos de ladrilho hidráulico de celas do antigo leprosário da Ilha Grande ...

Em Pirapora, se borda Brasil

  Para Antônia Zulma e sua família bordadeira Rio de Janeiro, 22 de julho de 2022.   Estimado Jamil, estimada ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2023 REVISTAPESSOA.COM