Imagem 1636823378.jpg

Cinco tostões e um tatu



2021-11-13

 

Para Dayane, professora  

 

Precisávamos dizer a ele. A companheira de 66 anos de vida em conjunto, a mulher que tantas vezes ele declarou amar, havia morrido. E de forma muito dolorosa. Com a dor de perder a mãe em segundo plano, escolhíamos palavras e jeito de falar. Ele ouviu e, como se o assunto fosse outro, respondeu: “Eu fui muito feliz. Na infância, minhas tias me davam tudo que queria. Pedia cinco tostões pra comprar um doce, elas me davam”. Perto de completar 83 anos e instalado na casa da infância, meu pai afrontava a trágica perda com episódios...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Nilma Lacerda

Nasceu no Rio de Janeiro, onde vive. Autora de Manual de Tapeçaria, Sortes de Villamor, Pena de Ganso, Cartas do São Francisco: Conversas com Rilke à Beira do Rio, Estrela de rabo e mais histórias, Iberê Camargo: um homem valente, é também tradutora e escreve ensaios e artigos científicos. Recebeu vários prêmios por sua obra, dentre os quais o Jabuti, o Prêmio Rio, o Prêmio Brasília de Literatura Infantojuvenil, além das distinções White Ravens, da Biblioteca Internacional de Munich para a Juventude  e Lista de Honra do International Books for Young People. Professora aposentada da Universidade Federal Fluminense, mantém na Revista Pessoa a Coluna Ladrilhos, com crônicas de talhe variado, em perspectiva lusófona.




Sugestão de Leitura


Chagall, sua aldeia, uma tarde

Chega, e o convite entra com ela, “Vovó, vamos brincar?”. Esconde-esconde, massinha, jogo da memória, jogo da velha. Nu ...

Ainda ontem e mesmo agora

  Nas prateleiras da minha biblioteca, dois fragmentos de ladrilho hidráulico de celas do antigo leprosário da Ilha Grande ...

Em Pirapora, se borda Brasil

  Para Antônia Zulma e sua família bordadeira Rio de Janeiro, 22 de julho de 2022.   Estimado Jamil, estimada ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2023 REVISTAPESSOA.COM