Imagem 1628330742.jpg

Vida e morte de Oliveira

Foto: Gracia Solenyanu



2021-08-07

qual uma faca íntima
ou faca de uso interno,
habitando num corpo
como o próprio esqueleto

de um homem que o tivesse,
e sempre, doloroso,
de um homem que se ferisse
contra seus próprios ossos.

João Cabral de Melo Neto

 

Capítulo 1: “É complicado para o Oliveira”

Oliveira mora sozinho e, também por isso, deixa a porta do banheiro aberta ao entrar para tomar banho. Debaixo do chuveiro, segue um programa de exercícios que inventou para superar seus medos.

Oliveira ocupa-se principalmente com controlar a ansiedade enquanto lava os cabelos. É que o homem fica querendo abrir os olhos quando ainda há xampu na cabeça, uma complicação, obviamente.

Infelizmente, Oliveira quase sempre fracassa em seu plano, abrindo os olhos antes da hora. De início ri de si mesmo, mas em seguida fica sério. Atravessa o dia ensimesmado, os olhos ardendo por...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Ewerton Martins Ribeiro

Nasceu em 1981 em Belo Horizonte, Minas Gerais, no Brasil, onde vive. Além de escritor de ficção, é jornalista e servidor da Universidade Federal de Minas Gerais, onde também atua como pesquisador. É mestre (2015) e doutor (2021) em literatura pela Faculdade de Letras da UFMG. Parte da pesquisa de seu doutorado, que resultou em uma tese sobre autoficção que é simultaneamente uma obra de autoficção, foi realizada na Universidade de Coimbra, em Portugal, entre 2018 e 2019, subsidiada por bolsa oferecida pela Fundação Calouste Gulbenkian. Publicou A Grande Marcha (editoras Circuito e e-galáxia, 2014), novela que tem como pano de fundo os protestos políticos brasileiros de junho de 2013, além de contos em revistas e suplementos literários. Venceu a edição de 2018 do Prêmio Literário Cidade de Manaus na categoria Ensaio sobre literatura.




Sugestão de Leitura


Amar o amor adulto

  Amor é dado de graça, é semeado no vento, na cachoeira, no eclipse. Amor foge a dicionários e a regulam ...

Felino, não reconhecerás

  Na casa inefavelmente circulam olhos de ouro vibre (em ouro) a           volúpia o escuro tenso ...

Sempre é sempre junho

  Era preciso estar o tempo todo atento, em transe, em trânsito, no assédio a um ou outro flanco do lobo, fugindo de ju ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2021 REVISTAPESSOA.COM