Imagem 1627626068.jpg

Exaltação a Elza e a En-hedu-Ana  

Imagem: Enheduana na animação do canal TED-Education. Reprodução



2021-07-30

 

A Suméria nos legou um modelo de civilização, e nele a escrita é fundamental. Isso bastaria para meu interesse no curso oferecido pela Casa Guilherme de Almeida, São Paulo. Haveria mais talvez, um laivo feminino atiçado pelo nome de Enheduana, a poeta acadiana, o contexto em que viveu e escreveu. Roger Mello havia me dito em conversa: “É o primeiro ser humano a dizer ‘eu’ em um texto, observação que Gleiton Lentz assinalará com ênfase. Uma mulher. Grafar “eu” é uma inovação extraordinária: o ser humano se alça à condição de sujeito, capaz de dirigir seu olhar para o que...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Nilma Lacerda

Nasceu no Rio de Janeiro, onde vive. Autora de Manual de Tapeçaria, Sortes de Villamor, Pena de Ganso, Cartas do São Francisco: Conversas com Rilke à Beira do Rio, tem publicados ensaios e artigos científicos. Professora da Universidade Federal Fluminense e também tradutora, recebeu vários prêmios por sua obra, dentre os quais o Jabuti, o Prêmio Rio e o Prêmio Brasília de Literatura Infantojuvenil. No site da revista Pessoa, na Coluna Ladrinhos, Nilma publica quinzenalmente trechos das páginas lusófonas do Diário de navegação da palavra escrita na América Latina. O texto  ganhou talhe ficcional para publicação em Mapas de viagem, volume de contos que é fruto  de um projeto de formação de leitores. Ela também contribui com crônicas sobre o universo literário.




Sugestão de Leitura


Héteros de mim

  #nemummais Como Ana Elisa Ribeiro, não mandei minha crônica a tempo. Começada, mas patinando, sem avançar ...

Cinco tostões e um tatu

  Para Dayane, professora     Precisávamos dizer a ele. A companheira de 66 anos de vida em conjunto, a mulher que ...

Assolada

  Às vizinhas do lado Leio Kramp, de María José Ferrada, e encontro pelas tantas a descrição de uma ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2022 REVISTAPESSOA.COM