Imagem 1584872969.jpg

A banda podre

Foto: Adam Smigielski



2020-03-22

Do compadrismo decorre a terrível propensidade da vida brasileira para as panelinhas e a mediocridade. Nesse sentido, o governo Bolsonaro não é nenhuma aberração, mas antes a caricatura – ou seja, a expressão exagerada, porém reveladora da essência – do sentimento geral de que os nossos, e os que se assemelham a nós, são merecedores de favor.

 

Minha avó dizia de uma conhecida dela: “coitada, sempre comeu da banda podre”. Deriva daí meu fascínio pelo termo. Eu tinha adoração por minha avó, e me encantava a sabedoria antiga de suas falas. Atualmente, banda podre costuma ser empregado para designar a parcela corrupta de uma corporação ou entidade. “Banda podre da polícia” talvez seja o uso mais recorrente no jornalismo brasileiro. Formulada assim, a expressão sugere que a podridão seja característica de algum grupo renegado, perverso, infiel aos propósitos que regem a coletividade. Os que pertencem à banda podre são radicalmente outro: demônios, anjos decaídos, judas traidores...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 3.50

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


ASSINATURA

DESDE R$ 39.00

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA



  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição

MICROPAGAMENTO

R$ 3.50

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


ASSINATURA

DESDE R$ 39.00

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA





  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição
  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Rafael Cardoso

É escritor e historiador da arte, PhD pelo Courtaud Institute of Art (Londres). É autor de numerosos livros sobre história da arte e do design brasileiros e também quatro livros de ficção, assim como roteiros de cinema e tevê. Colabora com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Instituto de Artes) e a Freie Universität Berlin (Lateinamerika Institut) como pesquisador associado. Atua ainda como curador independente. Fotografado por Patricia Breves.

 




Sugestão de Leitura


Por que você não verá meu lado ocidental?

  Tive ocasião de participar como mediador, esses dias, de uma mesa redonda que aproximou duas extremidades em torno do abismo cha ...

Os bárbaros estão entre nós

  Ao assistir às cenas de invasão do Capitólio americano na semana passada, muita gente deve ter pensado nas chamada ...

Ai de ti, Rio de Janeiro

  Com perdão a Rubem Braga.   1) Ai de ti, Rio de Janeiro, porque a véspera do teu dia foi trasanteontem e seque ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2021 REVISTAPESSOA.COM