Imagem 1557482519.jpg

Crítica e criação poética hoje

Foto: Rafael Zacca. Por Marcele Oliveira



2019-05-10

Sustento essa posição, que a crítica deveria repensar o seu papel e as suas formas de atuação em direção a uma “vulgarização” da poesia. Vulgarização, nesse caso, tem menos a ver com a “facilitação” do que tem sido escrito e mais com a sua incorporação na carne do comum. Não para disciplinar a poesia, torná-la palatável, nada disso; mas sim, para fazer com que ela se torne matéria do discurso comum, digamos, entre a seção de esportes e um anúncio de eletrodomésticos no jornal.

 

Realizada por e-mail há algum tempo, essa entrevista com o crítico e poeta Rafael Zacca  prolonga uma correspondência. Diferente da conversa, a correspondência implica uma certa distância não apenas no espaço, mas sobretudo no tempo – nela se opera um entrecruzamento paciente de leituras. Por isso as cartas conservam uma certa abertura, permitindo a escuta atenta do que na pressa corriqueira as vezes silencia. A troca epistolar mantém, de fato, uma afinidade eletiva com a paciência da verdadeira crítica que não é um juízo imediato sobre o valor estético da obra mas – como queriam os pré-românticos alemães – estudo...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Patrícia Lavelle

Estreou em poesia com Bye bye Babel (7Letras, 2018, menção honrosa no Prêmio Cidade de Belo Horizonte de 2016, reedição prevista em 2022). Publicou também a plaquete Migalhas metacríticas (7Letras, Megamíni, 2017). Em colaboração com Paulo Henriques Britto, organizou O Nervo do poema. Antologia para Orides Fontela (Relicário, 2018), da qual também participou com poemas inéditos. Publicou inéditos e traduções de poesia em veículos literários como a revista Cult e o jornal Rascunho, entre outros, e tem contribuído com poemas, autotraduções e traduções de poesia brasileira contemporânea para as revistas francesas Po&sie e Place de La Sorbonne. Professora do Departamento de Letras da PUC-Rio, tem livros de ensaios publicados no Brasil e na França, entre os quais sua tese de doutorado em Filosofia, Religion et histoire: sur le concept d’experience chez Walter Benjamin (Cerf, 2008), e recentemente, Walter Benjamin metacrítico: uma poética do pensamento (Relicário/Editora PUC-Rio, 2022). Os três poemas aqui publicados integram o livro de poesia inédito intitulado Sombras longas, ainda sem editora.    




Sugestão de Leitura


Tempo de ler, leituras do tempo

  Tive febre alta, dores no corpo. Isso durou só uns dois dias, depois ficou um estranho cansaço, mas como passei janeiro e ...

Uma lista extemporânea ou três leituras inatuais

  Quando gosto muito de um livro, preciso ler bem devagar, releio muitas vezes, leio trechos em voz alta para as pessoas queridas. As vez ...

Desacelerando a leitura

  Começo bem devagar. A própria disposição da mancha gráfica na página me obriga a ler lentamen ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2022 REVISTAPESSOA.COM