Imagem 1515501938.jpg

Reduzindo palavras, formando a língua

Foto: Oscar Sutton



2018-01-06

 

Se a tese for de uma ala mais conservadora, gramaticófila, vai dizer do absurdo que isso é e de como isso representa o assassinato da língua portuguesa. Se a tese for dos linguistas menos passionais, é possível encontrar análises mais descritivas e uma conclusão mais sossegada sobre as mudanças pelas quais a língua normalmente passa. Lembrando que essas abreviações impactam a escrita, se é que impactam, e não a fala. Bom, a fala é outro longo assunto.

 

Uso OK para quase tudo. Você não usa não? Acho impressionante como uma palavrinha dessas pode ser compreendida ao redor do mundo, se bobear. Até como gesto é capaz de ser compreensível em todo canto. (Quando eu fazia “joia”, com o dedão, para minhas amigas chinesas, elas riam e não entendiam lhufas... mas quando eu fazia OK, que no Brasil é meio ofensivo, elas sacavam na hora, sem se ofender nadica. Eu é que achava engraçado).

Mas o que é OK? Se a gente recorrer à Wikipédia, vai encontrar lá uma lista de possibilidades para a origem do OK, sem grandes...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Ana Elisa Ribeiro

É mineira de Belo Horizonte, onde trabalha e reside. É professora e pesquisadora do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, onde atua na área de Linguagem e Tecnologia, em três níveis de ensino. Publicou mais de trinta livros para crianças, adolescentes e adultos, sendo os mais recentes os poemários Álbum (Relicário, 2018) e Dicionário de Imprecisões (Impressões de Minas, 2019). É colunista do Digestivo Cultural e da Revista Pessoa. Fotografada por Sérgio Karam.




Sugestão de Leitura


Bye, Pessoas

  Obrigada. Eu vim aqui me despedir. Talvez eu tenha aprendido, na escola ou com minha mãe, que em despedidas a gente diz tchau, a ...

Um porquê só, e olhe lá

  Se tem uma palavra entojada em português é o porquê. Ao menos aqui por estas bandas, são quatro versõe ...

A gente gosta d’a gente

  Lembro de ler num livro literário, mais de uma vez, não sei mais de quem nem quando, uma composição que me ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2023 REVISTAPESSOA.COM