Imagem 1496234365.jpg

O Homem



2017-05-31

Em diálogo com o que seria a Psicanálise, autor analisa caso de histeria

 

Poderão os psiquiatras, e talvez ainda mais os psicanalistas, torcer o nariz para o grau de proficiência clínica do narrador de O homem (1887). Com mais certeza, leitores exigentes acharão de mau gosto imagens como “pérolas da boca” e “deliciosa prostração do coma venéreo”. Mesmo assim, o romance de Aluísio Azevedo tem qualidades que faltam à maioria das obras representativas do que no Brasil passou por ficção naturalista.

Os três primeiros capítulos desanimam. A julgar por eles, espera-se mais um dramalhão romântico de amor proibido entre irmãos. O estilo, arrastado e prolixo, acompanha esse surrado enredo. Felizmente o grande estorvo se vai: Fernando parte para a Europa, de onde um dia chegará a notícia de sua morte, por sinal muito pouco pranteada pelos parentes.

Então é que começa o estudo de caso, verdadeiro motivo do romance que, já no seu pórtico, traz a advertência do autor rogando que não o leiam os espíritos despreparados para a “verdade da arte”, cuja versão mais avançada seria o Naturalismo.

Madalena, ou simplesmente Madá, era uma moça...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$0,99

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.

ASSINATURA

DESDE R$12,90

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA



  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição

MICROPAGAMENTO

R$0,99

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.

ASSINATURA

DESDE R$12,90

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA





  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição
  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Eloésio Paulo

Eloésio Paulo nasceu em Areado, Minas Gerais. Doutorou-se em Letras pela Unicamp em 2004. Publicou Literatura e ideologia em dois romances dos anos 1970 (2014), Os 10 pecados de Paulo Coelho (2007) e Teatro às escuras (1997), além dos livros de poemas Primeiras palavras do mamute degelado (1990), Cogumelos do mais ou menos (2005), Inferno de bolso etc. (2007), Jornal para eremitas (2012) e Homo hereticus (2013). Foi resenhista de O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e O Globo. Pela editora Dubolsinho, publicou em 2010 Parque de impressões, poemas para crianças. No site da revista Pessoa, Eloésio publica resenhas de romances dos séculos XIX e XX, que integrarão seu próximo livro, o Pequeno guia do romance brasileiro.




Artigos Relacionados


Encarnação (1893)

  Até pouco adiante da metade, o último romance de José de Alencar parece anunciar-se como síntese bem realiz ...

A viuvinha

  A fórmula é a do folhetim, com suas surpresas óbvias salpicando o enredo. Mas o escritor ainda não tinha de ...

O risco do bordado

   “Deus é que sabe por inteiro o risco do bordado”, diz o médico Alcebíades enquanto narra seu enc ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2017 REVISTAPESSOA.COM