Acervo do ano 2017

A view with no room

2017-03-20
Ana Vidal
Do Olhar à palavra
Teremos sempre Florença, dirás. E quem sou eu para contradizer-te, se podemos ser, para sempre, dois sôfregos Botticellis lusitanos fantasiando primaveras? ...

Brincadeira

2017-02-06
Ana Vidal
Do Olhar à palavra
Nas lixeiras imundas há crianças que brincam. Nos destroços de um sismo há crianças que brincam. Nas ruínas poeirentas de uma g ...

Credo

2017-02-28
Ana Vidal
Do Olhar à palavra
Cedo me ensinaram a crer em Deus-Pai-todo-poderoso, em Maria-Mãe-sem-mácula (escrevia-Os sempre com maiúscula) e numa vida eterna que haveria - quisesse e ...

Descobrimento

2017-01-19
Ana Vidal
Do Olhar à palavra
E eis que um dia o Tejo espreita, cauteloso, por entre as colunas de pedra onde as gaivotas montam sentinela. O cais de tantas partidas, tantas ilusões. Primeiro, timid ...

Diários de periodicidade incerta

2017-07-24
Fernanda Mira Barros
Crônicas de Lisboa
  Domingo Recolhiam as esteiras da venda de melões de beira de estrada os dois ciganos. Mais perto da rotunda instalava-se já a prostituta, a saia mui ...

Medusas

2017-05-20
Ana Vidal
Do Olhar à palavra
Mulheres Cruzam, destemidas, os sete mares de todas as incompreensões. Conhecem de cor cada traço do rosto da injustiça, nas suas muitas máscara ...

Mudancite aguda

2017-03-06
Ronaldo Bressane
Doenças Crônicas
1. Eis que chego ao 22º ponto de vista da minha vida, um pouco por vontade de mudar, outro tanto por fim de contrato. Meus livros reclamaram, coisas se extraviaram, gasto ...

Não recordo o frio

2017-02-15
Fernanda Mira Barros
Crônicas de Lisboa
Mosteiro zen, Colorado, fim de 2016 Não recordo o frio, recordo a neve, que é, por definição, bem mais que fria. Fria é, ou está, ...

No arame

2017-01-06
Ana Vidal
Do Olhar à palavra
  Pondera o passo a dar.   A vida é um plano inclinado, sabe-o bem. Há que descê-lo ou subi-lo tantas vezes quantas o capricho dos instantes o ...

Propósitos de despropósitos

2017-03-31
Fernanda Mira Barros
Crônicas de Lisboa
Gosto tanto de certas palavras que gosto mais de certas palavras do que de certas pessoas, que gosto mais de certas palavras do que de certas paisagens. Fiacre, por exemplo. M ...

Silêncio

2017-03-28
Ana Vidal
Do Olhar à palavra
  Há um silêncio novo que trespassa paredes e soalhos, penetra todas as frinchas da casa e nela se instala como rei e senhor. Um silêncio voraz, ...

Vórtice

2017-04-30
Ana Vidal
Do Olhar à palavra
Vivemos depressa demais, ansiosos e vorazes, no permanente temor de perdermos comboios e lugares ao sol se nos detivermos para respirar. Para pensar. Para olhar, simplesmente. ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2017 REVISTAPESSOA.COM