Imagem 1488833892.jpg

Cabezas

2017-03-06


 

cabezas tamanho único

brancas

vazios densos

 

cabezas

recortadas

através dos vidros das vitrines

da cidade lenta

 

como os restos de pensamentos

que não cessam

de abandonar um corpo

que apodrece

 

lenta como as lembranças mais remotas

de cada uma

delas

falam

 

lenta linha a linha lenta

ponto

a ponto

de cada cabeza lenta

a luz que as projeta para muito

longe ou para mais perto

de alguma outra imprevista

cabeza cheia

de pensamentos interrompidos

 

imagens

para sempre perdidas

que rastejam no ar

 

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM CONTA? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$0,99

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Voçê pode acessar apenas ao artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.

ASSINATURA

DESDE R$12,90

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA



  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição
  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com

Ricardo Aleixo

Ricardo Aleixo é poeta, artista visual e sonoro, cantor, compositor, performador, ensaísta e editor. Publicou, entre outros, os livros Impossível como nunca ter tido um rosto (2016), Modelos vivos (2010 – um dos 10 finalistas dos prêmios Portugal Telecom e Jabuti 2011) e Trívio (2001). Integra antologias, coletâneas e edições especiais de revistas e jornais dedicados à difusão da poesia brasileira nos EUA, na Argentina, em Portugal, na França, de País de Gales, em Angola e no México. É curador da Feira de Inutensílios. Edita a revista Roda – Arte e Cultura do Atlântico Negro e a Coleção Elixir, de plaquetes tipográficas. É colunista da Rádio Inconfidência FM. 




Artigos Relacionados


Avalanche

A notícia da morte de Leonard Cohen me fez lembrar a voz rouca que servia de fundo a um programa em francês da rádio argelina.Ouvia-a sempre, sem ...

Os dias recentes em Lisboa

Outro dia troquei as esquinas do caminho e fui dar numa das artérias arborizadas das Avenidas Novas. Ali, cai num alfarrabista. Achei umas rech ...

Na primavera as cadeiras são verdes

Na Primavera: o jogo dos versos e das cadeiras Dopei-me com uma pastilha anti-náusea inteira. Os veículos da autopista para o aeroporto engave ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2017 REVISTAPESSOA.COM